5 de maio de 2012

Opinião - Os Três Mosqueteiros


Os Três Mosqueteiros é hoje, decorrido mais de um século desde a sua primeira publicação em folhetim, um dos romances históricos mais afamados, tendo sido por diversas vezes adaptado ao cinema e à televisão (em Portugal, por exemplo, a série infantil "Dartacão e os Três Moscãoteiros" marcou toda uma geração). Inspirado em factos e personagens reais (como o cardeal Richelieu, o rei Luís XIII e a rainha Ana de Áustria), mas também nas aventuras do pai do próprio Alexandre Dumas, general do exército de Napoleão, Os Três Mosqueteiros é uma obra arrebatadora (e muito bem humorada) sobre as façanhas do jovem fidalgo D'Artagnan, que chega a Paris com o sonho de ser um dos mosqueteiros do rei Luís XIII, e dos seus corajosos e leais amigos - Athos, Porthos e Aramis. Juntos, eles são os bravos da guarda real. Juntos, eles são "todos por um e um por todos".

Opinião:

"Os Três Mosqueteiros" é o meu livro de estreia com reconhecido escritor clássico, Alexandre Dumas. O livro foi originalmente publicado em 1844.

O enredo do livro passa-se no século XVII na França, com alguns capítulos a serem passados na Inglaterra.

D'Artagnan é um jovem fidalgo gascão que vai para Paris com o sonho de ser um mosqueteiro. Para conseguir esse sonho, ele apresenta-se ao Senhor Tréville, chefe do mosqueteiros do rei, mas ele não pode o nomear como mosqueteiro porque nunca tinha feito nenhuma campanha, mas meteu-o na Guarda do Senhor Essarts. Antes da audiência ele conhece 3 mosqueteiros, chamados Athos, Porthos e Aramis que irão ser os seus companheiros em muitas aventuras. 

Mosqueteiros e piqueiros franceses na Guerra dos 30 anos

Athos, Porthos e Aramis são três amigos bem diferentes entre si excepto no seu amor ao rei e o seu ódio ao Cardeal Richelieu. Juntamente com o D'Artagnan entrarão em várias aventuras para desfeitear os planos do Cardeal.


O Cardeal de Richelieu é o mais poderoso ministro do rei Luís XIII, e que governa França a seu bel-prazer. Ele é um dos principais impulsionadores da expansão do poder militar e financeiro francês.

Uma das personagens que mais gostei foi Milady, uma emissária do Cardeal que não olha a meios para atingir os seus objectivos.


Os desenhos animados "Dartacão e os Três Moscãoteiros" foram o meu primeiro contacto com esta história. Quem não se lembra das aventuras do Dartacão e dos seus amigos? E da Julieta a amada do Dartacão?




Eu gostei bastante das aventuras destes intrépidos mosqueteiros. Sem dúvida que este livro é um clássico que merece ser lido. 


Avaliação: 7-10

Enviar um comentário